• CORONAVÍRUS NA SERRA:
  • 57.848 casos
  • 1.210 mortes
  • 55.783 curados
25.4 C
Serra
quinta-feira, 13 maio - 2021
  • CORONAVÍRUS NA SERRA:
  • 57.848 casos
  • 1.210 mortes
  • 55.783 curados
Não aguentou a primeira chuva...

Entregue por Audifax, Rotatória de Maringá não dura 9 meses e Prefeitura precisa fazer reparos

Leia também

De mochilão e bicicleta, amigos vem pedalando da Argentina para conhecer belezas da Serra

Imagine conhecer o litoral brasileiro dando muitas pedaladas? Uma aventura e tanto, não é? Em busca da liberdade e...

Com investimento de mais de R$ 2 milhões, Fapes abre inscrições para bolsistas

Um investimento de R$ 2,1 milhões será destinado pela Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Espírito Santo...
Gabriel Almeidahttps://www.portaltemponovo.com.br/
Morador da Serra, Gabriel Almeida é repórter do Tempo Novo há seis anos. Atualmente, o jornalista escreve para diversas editorias do portal.

Calçada desabou e causou avarias no asfalto. Foto: Divulgação | Prefeitura da Serra

Construída e entregue pelo ex-prefeito da Serra, Audifax Barcelos (Rede), nos últimos meses de 2020, a obra da Rotatória de Maringá – que custou R$ 10 milhões e durou mais de dois anos – não aguentou a primeira forte chuva, apresentou problemas de deslizamento e voltou a causar polêmica entre motoristas da região. A parte de uma calçada feita no local desabou e deixou o asfalto cheio de avarias. Agora, a gestão do atual prefeito Sergio Vidigal (PDT) está precisando realizar reparos emergenciais para evitar novos transtornos.

De acordo com a Secretaria de Obras da Serra, o Município está precisando gastar recursos para reconstruir toda a calçada e reparar as avarias causadas no asfalto. O deslizamento que ocasionou nos problemas ocorreu no mês de março. Moradores e motoristas que circulam pela região ficaram indignados com os problemas, já que a obra é considerada nova e não deveria ‘estragar’ de forma tão rápida.

De acordo com a Prefeitura da Serra, ainda não é possível estimar quanto o Município está tendo que gastar para reconstruir a área afetada, pois esses cálculos ainda estão em apuração, já que a obra é emergencial e está ocorrendo. Em nota enviada ao TEMPO NOVO, a Secretaria de Obras disse que o conserto deve ser concluído em menos de 30 dias. “Estamos reconstruindo a calçada e reparando as avarias no asfalto” disse.

A reportagem esteve no local e confirmou a situação. Por lá, também conversou com motorista. “É um absurdo. Nós moradores, pois somos nós que pagamos, estamos tendo que bancar um conserto de obra que deveria durar anos e foi entregue no ano passado. Esse é o resultado de entregar obras apenas para as eleições. Infelizmente, nós vamos pagar a conta mais uma vez”, desabafou Itamar Santos.

O TEMPO NOVO entrou em contato com a assessoria do ex-prefeito Audifax, mas ainda não obteve retorno. Caso a demanda seja respondida, essa matéria poderá ser atualizada com a nota recebida.

Rotatória de Maringá e suas polêmicas

Após mais de dois anos de obras, a Prefeitura da Serra finalizou, no final de 2020, a construção da Rotatória de Maringá. No entanto, em todo o período de construção e também após a entrega aos moradores, a obra causou polêmica e foi alvo de muitas críticas. Por lá, motoristas apontam curvas estreitas e perigosas, além de outros problemas, como bueiros abertos que causaram acidentes, por exemplo.

A promessa de Audifax Barcelos era trazer melhorias no local, que interliga cerca de sete bairros. Além disso, a construção demorou mais do que o esperado para ser entregue e, isso ocorreu, após mais de três prazos.

Gabriel Almeidahttps://www.portaltemponovo.com.br/
Morador da Serra, Gabriel Almeida é repórter do Tempo Novo há seis anos. Atualmente, o jornalista escreve para diversas editorias do portal.

VOCÊ TAMBÉM PODE LER

CONTEÚDO PATROCINADO

close-link
error: Não copie! Compartilhe o conteúdo!