28.7 C
Serra
sábado, 22 janeiro - 2022
  • CORONAVÍRUS NA SERRA:
  • 71.679 casos
  • 1.485 mortes
  • 69.752 curados

Eco vai entregar BR-101 cheia de problemas e morador da Serra terá que pagar por melhorias

Leia também

Serra terá dois novos pontos de testagem de Covid-19 | Confira

Diante do crescente número de casos positivos de Covid-19 registrados nos últimos dias, a procura por testes aumentou e...

Avanço explosivo da Ômicron adoece 1.550 pessoas na Serra em 24h

A circulação da variante Ômicron em território capixaba tem causado um aumento explosivo de novos casos da Covid-19 na...

Serra volta para risco moderado e pode sofrer restrições devido ao avanço da Covid-19

Devido ao aumento de casos de coronavírus e mortes causadas por complicações da Covid-19, a Serra voltou a ser...
Gabriel Almeidahttps://www.portaltemponovo.com.br
Gabriel Almeida é jornalista do Tempo Novo há mais de sete anos. Atualmente, escreve para diversas editorias do jornal.

Trevo de Cidade Pomar: local sofre com falta de estrutura há anos e nunca recebeu melhorias da Eco101. Foto: Divulgação

A Prefeitura da Serra anunciou nesta semana que vai assumir todo o trecho da BR-101 que corta o município até o início de 2023. A municipalização da rodovia vai acontecer da seguinte forma: a Eco101 ganhará o Contorno do Mestre Álvaro de mão beijada – já que a obra é bancada pelos cofres públicos – e vai deixar de herança para o Município os mais de 30 problemáticos quilômetros da rodovia – que sofre com alagamentos, buracos, pistas não duplicadas, engarrafamentos e outras questões nunca solucionadas pela concessionária que cobra pedágio e administra a via.

Por um lado, a municipalização traz esperança aos moradores da cidade, já que todo o trânsito pesado que circula dentro da Serra será transferido para o Contorno do Mestre Álvaro, o que pode desafogar o trânsito da cidade. Não obstante, é necessário cautela, pois, o Município se tornará o principal responsável pelas agruras da avenida Mestre Álvaro (atual BR-101) e isso gerará gastos milionários aos cofres públicos.

Inclusive, a administração municipal já está planejando cinco obras de melhorias por toda a BR-101, mas nenhuma das anunciadas até o momento, resolverá os problemas crônicos da rodovia. Entre os principais, podemos citar os infernais alagamentos que ocorrem em diversos trechos da futura avenida municipal; um deles em frente a entrada dos bairros José de Anchieta e Parque Residencial Laranjeiras.

A extensa cobertura jornalista do Tempo Novo sobre o problema mostra que basta chover forte por alguns minutos que todas as faixas do trecho são cobertas por água, o que impede o fluxo de trânsito e gera gigantescos engarrafamentos, afetando, inclusive, toda a Grande Vitória. Houve casos em que a BR ficou interditada por até oito horas seguidas.

Mas sobre esta situação, a Eco101 não esconde seu posicionamento. Mesmo com os motoristas pagando pedágio e com o trecho sob sua concessão, a concessionária insiste em jogar a culpa na Prefeitura da Serra, assumindo, inclusive, que não tem planos para solucionar a situação.

Além de herdar este problema, a Prefeitura da Serra também se envolverá em um imbróglio do ‘Trevo da Morte’, em Cidade Pomar. Palco de constantes acidentes, o trecho deveria contar com um viaduto há anos, mas sequer possui recapeamento. Um jogo de empurra se formou entre a Eco e o Departamento Nacional de Infraestrutura e Transporte (DNIT); a concessionária afirma que sequer poderia realizar melhorias no espaço e o tema já virou até caso judicial.

O mais justo é que, ao ganhar o Contorno do Mestre Álvaro, sem custos e novíssimo em folha para sua exploração, a Eco101 assuma as responsabilidades de entregar o trecho da BR-101, que será incorporado à malha viária do município, em boas condições e com as questões problemáticas solucionadas.

Não é justo que o contribuinte serrano – que batalha diariamente para sustentar suas famílias e paga pedágio para a concessionária há oito anos– tenha que bancar as obras que, provavelmente, a administração municipal terá que realizar para corrigir os erros e oferecer melhor mobilidade urbana aos moradores.

Gabriel Almeidahttps://www.portaltemponovo.com.br
Gabriel Almeida é jornalista do Tempo Novo há mais de sete anos. Atualmente, escreve para diversas editorias do jornal.

VOCÊ TAMBÉM PODE LER

error: Não copie! Compartilhe o conteúdo!