• CORONAVÍRUS NA SERRA:
  • 35.992 casos
  • 711 mortes
  • 34.605 curados
23.4 C
Serra
quinta-feira, 28 janeiro - 2021
  • CORONAVÍRUS NA SERRA:
  • 35.992 casos
  • 711 mortes
  • 34.605 curados

Dicas de verão | Cuidado com a água viva

Leia também

Reunião entre Vandinho e Coronel Ramalho confirma reforma de delegacia em Jacaraípe  

O problema na segurança é uma das principais queixas dos moradores da Grande Jacaraípe, na Serra. Embora seja um...

Empresa vence ‘queda de braço’ na Justiça e serranos poderão beber água infectada com lixo

A qualidade da água na região de Serra Sede já deixa a desejar e a situação poderá ficar ainda...
Redação Jornal Tempo Novo com informações de assessoriahttps://www.portaltemponovo.com.br
O Tempo Novo é da Serra. Fundado em 1983 é um dos veículos de comunicação mais antigos em operação no ES. Independente, gratuito, com acesso ilimitado e ultra regionalizado na maior cidade do Estado.

Água viva: é importante evitar sol na região afetada. Foto: Agência Brasil

Nesta época do ano, aumentam os casos de contato com água viva. O animal se torna mais frequente nas praias, onde acidentes acabam acontecendo. Por isso, é muito importante estar atento.

A dermatologista da Unimed Vitória Telma Lúcia Serra Guimarães Macedo destaca que o ferimento causado pela água viva não é tecnicamente uma queimadura, mas sim um envenenamento da pele causado pelas toxinas liberadas pelo animal.

Se for atingida por uma, a médica explica que a pessoa deve na hora banhar o local com água gelada do mar ou fazer compressa com essa mesma água. “Isso terá um efeito analgésico. Também pode ser lavado com soro fisiológico, caso seja possível. Jamais lave com água doce, que aumenta a liberação do veneno dos tentáculos e piora a dor e a queimação”.

O ideal, segundo a especialista, é não passar outros produtos no local. “Algumas pessoas acham que devem passar sabão, limão e até xixi. Isso pode irritar ainda mais a área ferida”, alerta.

A médica destaca ainda que é importante evitar sol na região afetada. “O sol pode aumentar o ferimento e provocar bolhas, no caso de queimaduras”.  

Confira as principais dicas em caso de acidentes com água viva: 

– Nunca lave o local do ferimento com água doce. Ela aumenta a liberação do veneno dos tentáculos e piora a queimação e a dor.

– Lave com água do mar em abundância. A água do mar reduz a dor e ainda ajuda na retirada de tentáculos da água viva que possam ter ficado grudados na pele.

– Se notar algum tentáculo grudado, com cuidado, retire com um palitinho de sorvete ou com uma pinça. Lave o palitinho antes de utilizá-lo e atenção para não machucar ainda mais a região.

– Se for possível, use vinagre no ferimento. É o produto mais indicado para diminuir o efeito do veneno na pele e atenuar a dor. Faça compressas por 30 minutos, com vinagre puro.

– Se a área queimada for muito grande, a dor for intensa ou houver sinais de alergia, procure um pronto-socorro.

– Atenção: água-viva na areia também queima, evite contato. O ideal é enterrá-la numa boa profundidade para evitar acidentes.

– Em casos de ferimentos mais graves, é indicado procurar um dermatologista.

– Cuidado também com ouriços, arraias e baiacus, que podem causar acidentes.

 

Redação Jornal Tempo Novo com informações de assessoriahttps://www.portaltemponovo.com.br
O Tempo Novo é da Serra. Fundado em 1983 é um dos veículos de comunicação mais antigos em operação no ES. Independente, gratuito, com acesso ilimitado e ultra regionalizado na maior cidade do Estado.

VOCÊ TAMBÉM PODE LER

CONTEÚDO PATROCINADO

close-link
close-link
error: Não copie! Compartilhe o conteúdo!