21.1 C
Serra
sábado, 11 de julho de 2020

Deputado propõe a proibição das bandejinhas de isopor no ES

Leia também

Serra ultrapassa 9 mil casos confirmados e já possui 358 mortes causadas pela Covid-19

Seguindo na vice-liderança de casos confirmados de coronavírus no Espírito Santo, a Serra já ultrapassou a triste marca de...

Prefeitura abre vacinação contra gripe para todos os moradores da Serra

Após finalizar a campanha de vacinação contra a gripe Influenza, a Secretaria Municipal de Saúde ampliou a imunização para...

Empresa de segurança que aluga cães é denunciada por abandono na Serra

Após receber denúncias de abandono de animais de propriedade de uma empresa de segurança que trabalha com aluguel de...
Redação Jornal Tempo Novo com informações de assessoriahttps://www.portaltemponovo.com.br
O Tempo Novo é da Serra. Fundado em 1983 é um dos veículos de comunicação mais antigos em operação no ES. Independente, gratuito, com acesso ilimitado e ultra regionalizado na maior cidade do Estado.

Produtos de hortifrúti e açougue são geralmente embalados em bandejas de isopor. Foto: Divulgação

É comum encontrar nos supermercados do Estado produtos de hortifrúti e açougue embalados em bandejas de isopor. Com pouco tempo de vida útil, já que normalmente são descartadas logo que o consumidor chega em casa, essas embalagens acabam gerando danos severos e por longo prazo ao meio ambiente.

Pensando em frear os impactos gerados por esse tipo de embalagem, o Projeto de Lei 809/2019 proíbe a produção, comercialização e a utilização de embalagens e recipientes de poliestireno expandido (EPS) e o poliestireno extrudado (XPS) destinados ao acondicionamento de alimentos e bebidas no Espírito Santo.

Presentes não só nos supermercados e similares, as embalagens também são muito usadas para acondicionar alimentos em serviços de delivery. Feito a partir de derivados do petróleo, o produto leve e barato não tem prazo de decomposição determinado, mas vem gerando uma série de problemas ambientais, como ressalta o autor do projeto, deputado Marcos Garcia (PV), na justificativa da matéria.

“Para os ambientalistas o problema maior reside nas embalagens despejadas no meio ambiente e que chegam aos rios, lagos e mares, causando problemas em cascata na cadeia alimentar”, aponta a justificativa.

Marcos Garcia destaca os problemas ambientais causados pelo uso do isopor / Foto: Ellen Campanharo

Garcia adverte que “estudos epidemiológicos, ainda que não conclusivos, observaram alto índice de incidência de doenças em pessoas que tem contato diário com o produto, como dores de cabeça, depressão, perda auditiva e problemas neurológicos, além do aumento no risco de leucemia e linfoma”. O parlamentar também ressalta que existem outras alternativas viáveis ao isopor, como o papelão.

O texto estabelece prazo de um ano para adequação após publicação, caso a norma venha a ser aprovada e sancionada. O descumprimento poderá acarretar em multa de R$ 3.421,40. O montante será cobrado em dobro em caso de reincidência.

Tramitação

O PL 809/2019 será analisado pelas comissões de Justiça, Saúde e Finanças antes de seguir para a votação em plenário.

Comentários

Mais notícias

Prefeitura abre vacinação contra gripe para todos os moradores da Serra

Após finalizar a campanha de vacinação contra a gripe Influenza, a Secretaria Municipal de Saúde ampliou a imunização para todos os moradores da Serra. ...

Empresa de segurança que aluga cães é denunciada por abandono na Serra

Após receber denúncias de abandono de animais de propriedade de uma empresa de segurança que trabalha com aluguel de cães de raça, localizada no...

VOCÊ TAMBÉM PODE LER

CONTEÚDO PATROCINADO

Comentários
close-link
close-link
CLIQUE AQUI e receba as principais noticias sobre o coronavírus na Serra e no ES pelo seu WhatsApp
error: Não copie! Compartilhe o conteúdo!