• CORONAVÍRUS NA SERRA:
  • 33.518 casos
  • 683 mortes
  • 32.183 curados
26.1 C
Serra
domingo, 17 janeiro - 2021
  • CORONAVÍRUS NA SERRA:
  • 33.518 casos
  • 683 mortes
  • 32.186 curados

Deputada quer impedir retirada de cobradores do Transcol

Leia também

ES recebe 1,5 milhão de seringas para vacinação contra a Covid-19

Chegou ao Estado na manhã deste sábado (16), a primeira remessa de 1,5 milhão de seringas que serão utilizadas...

Advogado mata adolescente que tentava assaltar mulher na Serra

Um adolescente foi morto, na tarde desta sexta-feira (15), ao tentar assaltar uma mulher na avenida Talma Rodrigues Ribeiro,...

Prefeitura fiscaliza bares para flagrar aglomeração e conter Covid-19 na Serra

Pensando em conter o avanço do coronavírus e conscientizar a população, a Prefeitura da Serra está intensificando ações de...
Gabriel Almeidahttps://www.portaltemponovo.com.br/
Morador da Serra, Gabriel Almeida é repórter do Tempo Novo há seis anos. Atualmente, o jornalista escreve para diversas editorias do portal.

Projeto de lei é da Janete de Sá. Foto: Divulgação / Ales

Um projeto de lei (PL) que está tramitando na Assembleia Legislativa quer impedir que o Governo do Estado retire os cobradores dos coletivos do sistema Transcol. A proposição da deputada Janete de Sá (PMN), caso aprovada, vai ao encontro do anúncio feito pela Secretaria de Estado dos Transportes e Obras Públicas (Setop) que os novos ônibus com ar-condicionado contarão apenas com o motorista.

O PL torna obrigatória a presença de motorista e cobrador para não haver acúmulo de função de ambas as partes. Para a deputada, é de extrema importância manter os cobradores dentro dos coletivos, para auxiliar os passageiros e o motorista, além de evitar a eliminação de centenas de postos de trabalho.

“De qualquer forma, sabemos que o desenvolvimento tecnológico é um processo inexorável nos dias que correm, mas temos que nos preocupar na manutenção dos postos de trabalho. Esclarecemos que a atividade do cobrador está expressa na planilha de custos no edital de licitação que determinou a concessão do transporte coletivo no Estado. Os custos já estão embutidos”, justifica Janete.

A proposição ainda prevê aplicação de advertência, multa e até cassação de concessão das empresas que não respeitarem a regra. Ainda segundo o texto do PL, a Companhia Estadual de Transportes Coletivos de Passageiros do Estado do Espírito Santo (Ceturb) será a responsável por fiscalizar se as empresas estarão cumprindo as novas regras.

A reportagem acionou a Setop e a Ceturb para saber se os órgãos querem se pronunciar sobre a proposição da deputada, assim que a demanda for respondida, será publicada neste espaço.

Anúncio de mudança gerou polêmica

No mês passado, o Governo do Estado apresentou como será os novos ônibus e a medida de retirar os cobradores causou polêmica e já gerou três protestos do Sindirodoviários. Os coletivos com ar-condicionado que foram lançados no mês passado não terão a cabine para os cobradores. Com isso, somente passageiros que tiverem o cartão de bilhetagem eletrônica poderão utilizar os novos ônibus, já que não será permitido o pagamento da tarifa em dinheiro.

No dia 26 de junho, o governador Renato Casagrande, juntamente com o secretário de Estado dos Transportes e Obras Públicas, Fábio Damasceno, e o diretor-presidente da Ceturb-ES, Raphael Trés, apresentaram os novos coletivos e entregaram 20 ônibus que serão colocados em circulação na próxima semana. A previsão é que até o final do ano seja 100 ônibus com ar-condicionado.

Os coletivos iniciais irão operar nas linhas troncais – que fazem a viagem de terminal a terminal – e a meta é que até 2022 sejam 600 ônibus com ar-condicionado. O Governo do Estado ainda não divulgou quais a linhas serão contempladas com a novidade.

Os ônibus com ar-condicionado, assim como a implantação de wi-fi nos coletivos, faz parte do pacote de medidas que Casagrande prometeu no início do ano como a “recuperação do sistema” Transcol, que é alvo de muitas reclamações por parte dos capixabas que precisam utilizar o transporte público para se locomoverem: calor, insegurança e superlotação são algumas das queixas dos usuários.

Gabriel Almeidahttps://www.portaltemponovo.com.br/
Morador da Serra, Gabriel Almeida é repórter do Tempo Novo há seis anos. Atualmente, o jornalista escreve para diversas editorias do portal.

VOCÊ TAMBÉM PODE LER

CONTEÚDO PATROCINADO

close-link
close-link
error: Não copie! Compartilhe o conteúdo!