27.1 C
Serra
terça-feira, 31 de março de 2020

Cresce a incidência da Síndrome do Olho Seco entre os capixabas

Leia também

Mais um paciente está curado do coronavírus no ES, diz governo

Dos 85 casos confirmados de coronavírus no Espírito Santo, 13 pacientes já estão curados da doença. A afirmação é...

Moradora de Valparaíso preocupada com aglomeração de pessoas em feira orgânica do bairro

Uma moradora de Valparaíso que não quis se identificar está preocupada com o número de pessoas que se aglomeram...

Supergasbras diz que não vai haver desabastecimento de gás no ES

    Um vídeo tem circulado em redes sociais e grupos de whatsapp desde a noite da última segunda (30). No...
Redação Jornal Tempo Novo com informações de assessoriahttps://www.portaltemponovo.com.br
O Tempo Novo é da Serra. Fundado em 1983 é um dos veículos de comunicação mais antigos em operação no ES. Independente, gratuito, com acesso ilimitado e ultra regionalizado na maior cidade do Estado.

Entre os sintomas estão ressecamento, vermelhidão, ardor e coceira. Foto: Pixabay

O “Olho Seco”, síndrome que acomete cerca de 15% da população mundial e está entre as principais razões para visitas ao oftalmologista, podendo até comprometer a visão, está aumentando sua incidência. Entre as causas do seu crescimento estão hábitos não recomendados, entre outros fatores da vida moderna. Apesar disso, ela ainda é desconhecida da maioria dos capixabas. Alguns sofrem anos com esse desconforto e nem têm conhecimento que possuem a síndrome.

“Esta síndrome é caracterizada por uma deficiência na produção ou na qualidade das lágrimas provocando, principalmente, o ressecamento da superfície do olho. Entre os sintomas estão ressecamento, vermelhidão, ardor e coceira. Os estágios da doença vão de leve a moderado e grave. Os casos de moderado para grave trazem muito desconforto – dor, baixa da acuidade visual, dificuldade no uso de lentes de contato, além de dificuldade em atividades de rotina como ler, ver tv, usar o computador. Além disso, o olho sem lágrima é um olho que enxerga mal”, explica a oftalmologista especializada no tratamento da Síndrome do Olho Seco, Liliana Nóbrega.

O aumento na incidência da doença, segundo a especialista, está especialmente relacionado com os novos tempos. Hábitos não recomendados e o envelhecimento da população são alguns dos principais fatores. Com o fenômeno do envelhecimento populacional, com as pessoas vivendo mais, aumenta o aparecimento da doença. Além disso, são responsáveis a poluição das cidades e o uso prolongado de aparelhos eletrônicos como celulares, computadores e tablets. “Há um impacto mundial na doença por conta de as pessoas ficarem, por muito tempo, em frente a um computador, notebook, celular, tablet, piscando muito menos do que o normal e, com isso, deixando de lubrificar os olhos”, alerta Liliana Nóbrega.

Além disso, a doença tradicionalmente acomete mais mulheres, principalmente após a menopausa. Nesse estágio da vida elas sentem muito ressecamento nos olhos. Também são fatores de risco as doenças autoimunes de origem reumatológicas, cujos sintomas são boca e olho seco, e que podem ser acompanhadas de artrites.

Ar condicionado, uso continuado de lentes de contato e alguns medicamentos (diuréticos, anti-histamínicos, antidepressivos e anticoncepcionais) também podem provocar a síndrome.

“Por ser uma doença crônica, sem cura, fazer o tratamento correto para diminuir os sintomas ao máximo, reduzindo o desconforto e melhorando a qualidade de vida, é fundamental”, reforça a oftalmologista.

Mas ela explica que o tratamento não se resume a melhorar a quantidade de lágrimas. A doença é de origem inflamatória e muitas vezes é necessário, por exemplo, lançar mão de corticoides tópicos para desinflamar as glândulas ou usar imunomoduladores para tratamento de longo tempo.

Novo equipamento para tratamento da doença chega ao ES

A oftalmologista Liliana Nóbrega trouxe ao Espírito Santo o mais moderno e resolutivo aparelho para o tratamento da “Síndrome do Olho Seco”. De fabricação francesa, o E-Eye utiliza a tecnologia IRPL (Luz Pulsada Regulada de Alta Intensidade). Este é o primeiro equipamento médico desenvolvido especificamente para o tratamento das glândulas de Meibomius (glândulas que produzem lipídios e proteínas para as margens das pálpebras), responsáveis por 75% dos casos do “Olho Seco”.

“O tratamento é realizado com procedimentos rápidos. Duram em torno de cinco minutos e são indolores. O equipamento funciona com uma nova tecnologia de luz pulsada regulada de alta intensidade, o sistema E-Eye, que cria pulsos de luz policromática. A luz emitida não é invasiva, o que não causa comprometimento do globo ocular. Ao ser aplicado na proximidade das pálpebras, esse pulso de luz estimula terminações nervosas das glândulas de Meibomius, favorecendo um aporte maior e melhor da secreção lipídica”, afirma ela.

Estudos clínicos já realizados apontam que cerca de 90% dos pacientes mencionam melhora dos sintomas e satisfação após duas aplicações. Em apenas três aplicações – após a primeira, são feitas outras duas aos 15 e 45 dias -, o paciente já percebe uma diminuição nos sintomas de olho seco.

“É clinicamente possível observar essa melhora. A nova tecnologia induz a restauração da função normal das glândulas de Meibomius. Após o tratamento, pacientes têm relatado a diminuição do uso de colírios”, comenta Liliana Nóbrega.

Uma paciente que já fez o tratamento com ela relatou que após as aplicações percebeu uma diminuição nos sintomas de olho seco, a ponto de se esquecer de retirar as lentes de contato na hora de dormir. Com os procedimentos também é comum a redução no uso de colírios ou outros medicamentos.

Comentários

Mais notícias

Moradora de Valparaíso preocupada com aglomeração de pessoas em feira orgânica do bairro

Uma moradora de Valparaíso que não quis se identificar está preocupada com o número de pessoas que se aglomeram nas feiras livres, em especial,...

Supergasbras diz que não vai haver desabastecimento de gás no ES

    Um vídeo tem circulado em redes sociais e grupos de whatsapp desde a noite da última segunda (30). No vídeo, o motorista de caminhão...

Serra deve receber hospital de campanha para pacientes com Covid-19

Com previsão para entrega em 15 dias, a Serra pode ter o seu hospital de campanha, para atendimento às suspeitas e aos infectados com...

PDT nega aproximação com Rodrigo Caldeira

Lideranças do Partido Democrático Trabalhista (PDT) reagiram a matéria publicada no Tempo Novo, nesta segunda-feira (29), dando conta de que o presidente da Câmara...

VOCÊ TAMBÉM PODE LER

CONTEÚDO PATROCINADO

Comentários
CLIQUE AQUI e receba as principais noticias sobre o coronavírus na Serra e no ES pelo seu WhatsApp
error: Não copie! Compartilhe o conteúdo!
Precisa falar com o Tempo Novo? Envie sua mensagem