Coronel Nylton surpreende e entrega Secretaria de Defesa Social da Serra

0
Coronel Nylton surpreende e entrega Secretaria de Defesa Social da Serra
Nylton Rodrigues diz que o que pesou na decisão foi o desejo de estar mais próximo da família e dedicar mais tempo aos estudos.Foto: Divulgação

O secretário de Defesa Social da Serra, Nylton Rodrigues, pediu exoneração do cargo. A confirmação veio do próprio em conversa com a reportagem do TEMPO NOVO. Segundo Nylton, o que pesou na decisão foi o desejo de estar mais próximo da família e dedicação aos estudos.

A reportagem questionou se a relação dele com o prefeito Audifax Barcelos (Rede) teria sido estremecida, porém ele negou e afirmou que sua exoneração é uma decisão pessoal e que mantém “as melhores relações possíveis” com o prefeito.

Nylton argumentou que nos últimos anos exerceu cargos de muito desgaste que despendiam muito tempo e responsabilidade como o comando do Sexto Batalhão da Serra, a própria Secretaria de Defesa Social da qual foi titular durante a segunda gestão de Audifax (2013 – 2016), Comando Geral da Polícia Militar e a Secretária de Segurança Pública do Estado, ambas na gestão do ex-governador Paulo Hartung (sem partido).

“Entrei em um ciclo de funções que requer muito de qualquer indivíduo. Trabalhar na área da segurança pública é um desafio e uma missão que me dediquei e me dedico há muitos anos. Agora preciso ter um tempo para me aprimorar nos estudos e estar mais presente com minha família, também por questões de saúde e stress”, declarou o militar.

Vale destacar que Nylton vinha sendo cotado como forte candidato a sucessão de Audifax na eleição de 2020.  A reportagem perguntou se estariam de pé as possibilidades do militar entrar para política eleitoral. Nylton se disse “honrado” por ter seu nome lembrado, entretanto disse que se a eleição fosse hoje não seria candidato.

“Sou abordado por muitas pessoas que me pedem para ser candidato a prefeito. Isso me deixa feliz porque é um sinal de que nosso trabalho é reconhecido e valorizado. Mas nunca passou pela minha cabeça ser candidato, eu entrei na secretária para trabalhar como trabalhei na primeira vez que fui secretário de Audifax. Eu nunca fui filiado a partido nenhum. Agora, assim, fico muito honrado com esse carinho dos moradores da Serra. Se as eleições fossem hoje, eu não seria candidato, com certeza. Mas, assim, todo esse carinho que eu recebi das pessoas na rua, me fez iniciar pensar numa possibilidade no futuro, mas não amadureci essa ideia ainda”, afirmou o coronel.

 

Comentários