27 C
Serra
quinta-feira, 29 de outubro de 2020

Cesan diz que estação de tratamento limpa mais de 85% da sujeira que iria para lagoa

Leia também

Emprego: empresas abrem 156 vagas com preferência para moradores da Serra nesta quinta

É morador da Serra e está procurando uma oportunidade de trabalho? Então fique atento para as chances que foram...

Bairro da região rural da Serra é o único do município com um caso de Covid-19

A Serra tem 19.386 casos confirmados da Covid-19 até a tarde desta quarta (28) e 538 óbitos em decorrência...

Jornal Tempo Novo vai divulgar pesquisa ENQUET para prefeito da Serra

Na manhã dessa quinta-feira (29), o jornal TEMPO NOVO, em parceira com a Enquet, publicará pesquisa de intenção de...
Redação Jornal Tempo Novohttp://WWW.portaltemponovo.com.br
O Tempo Novo é da Serra. Fundado em 1983 é um dos veículos de comunicação mais antigos em operação no ES. Independente, gratuito, com acesso ilimitado e ultra regionalizado na maior cidade do Estado.

Situação da lagoa registrada na última quinzena de agosto: problema se agravou nos últimos 15 anos. Foto: Divulgação/Renato Ribeiro/ 20-08-20

Após ser questionada por conta da piora da lagoa Maringá, que recebe esgoto doméstico tratado pela Cesan, a empresa garantiu que remove mais de 85% da sujeira que chega a seu sistema de tratamento. A informação foi passada pela assessoria de imprensa da empresa, que desde janeiro de 2015 passou a operar o esgoto do município em Parceria Público Privado (PPP) com a Ambiental Serra.

A lagoa fica às margens da ES 010 entre Vila Nova e Manguinhos. Nas últimas semanas voltou a ter o espelho d’água tomado por vegetação aquática, ganhando aspecto de um gramado. Segundo especialistas o fenômeno é chamado de eutrofização e é resultado do excesso de material orgânico na água, que no caso de lagoas urbanas vem de esgotos tratados ou não. A situação da Maringá começou a se deteriorar em meados da década passada.

A Cesan, por sua vez, garantiu que a Estação de Tratamento de Esgoto do Civit II, que lança águas na Maringá, está operando normalmente e removendo mais de 85% das impurezas que chegam nela, fato apurado por meio da taxa de remoção média de DBO (Demanda Bioquímica de Oxigênio).

Fiscalização

Por nota a Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semma) disse que observou a presença de vegetação na lagoa. Contudo, afirmou não ser possível associar o fato à presença de poluição. A nota prossegue informando que preventivamente a Semma notificou a Cesan/ Ambiental Serra, a fim de verificar se o sistema de tratamento de esgoto da região está funcionando de forma adequada.

A Semma informou ainda que o órgão licenciador estadual do sistema de tratamento, o Iema (Instituto Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos), também foi acionado para a realização de uma ação fiscal no local.

Assim estava a água da lagoa após a manilha sob a ES 010 perto do posto da Polícia Rodoviária Estadual: sujeira vai parar na praia de Manguinhos. Foto: Divulgação/Anderson Muniz/ 01 – 08- 20

Esgoto clandestino

Segundo a Semma, além do líquido tratado pela ETE Civit II, há também esgoto jogado na Maringá por outras fontes. Algumas delas são de condomínios localizados na região de Morada de Laranjeiras. De acordo com o Meio Ambiente do município, tais condomínios possuem sistemas autônomos de tratamento de esgoto que não tem funcionado adequadamente.

Esses geradores já foram multados e os autos de infração para conhecimento do Ministério Público (MP), conforme previsto no Código de Meio Ambiente Municipal. O MP fará uma apuração dos fatos e possível punição judicial. A Semma não divulgou o nome dos condomínios autuados.

21 mil imóveis fora da rede

A Cesan disse que na Serra há pelo menos 21 mil imóveis com rede de esgoto disponível mas que não estão ligadas aos sistema, ou seja, a poluição está sendo lançada na natureza. No entanto não informou quantos imóveis estão nesta situação no entorno da lagoa Maringá.

De 2005 para cá, a Prefeitura fez algumas ações para remover a vegetação que cresce em excesso. Foto: Arquivo TN/Bruno Lyra/ 10-12-14

Por conta da poluição a Maringá periodicamente tem seu espelho dágua tomado por vegetação. Por mais de uma vez,  a Prefeitura da Serra teve que gastar para limpar a lagoa usando barcos e dragas para fazer a remoção mecânica da vegetação.

Da Maringá desce o córrego que deságua no centro de Manguinhos, num local ainda muito freqüentado por banhistas, inclusive crianças.

Redação Jornal Tempo Novohttp://WWW.portaltemponovo.com.br
O Tempo Novo é da Serra. Fundado em 1983 é um dos veículos de comunicação mais antigos em operação no ES. Independente, gratuito, com acesso ilimitado e ultra regionalizado na maior cidade do Estado.

Mais notícias

Bairro da região rural da Serra é o único do município com um caso de Covid-19

A Serra tem 19.386 casos confirmados da Covid-19 até a tarde desta quarta (28) e 538 óbitos em decorrência de complicações da enfermidade. E...

Jornal Tempo Novo vai divulgar pesquisa ENQUET para prefeito da Serra

Na manhã dessa quinta-feira (29), o jornal TEMPO NOVO, em parceira com a Enquet, publicará pesquisa de intenção de voto para a prefeitura da...

VOCÊ TAMBÉM PODE LER

CONTEÚDO PATROCINADO

error: Não copie! Compartilhe o conteúdo!