Calor castiga serranos e pode levar à morte | Portal Tempo Novo

Serra, 19 de Março de 2019

Portal Tempo Novo - O Portal da Serra, ES

Meio Ambiente

Serra, 11 de Janeiro de 2019 às 8:52

Calor castiga serranos e pode levar à morte

Por Bruno Lyra
[email protected]

Em dias de super calor hidratação é fundamental para reduzir riscos a saúde. Foto: Agência Brasil

O calorão está castigando quem mora na Serra, principalmente nos bairros mais afastados das praias e com maior concentração de construções e asfalto. Com temperaturas superando os 35º C nas horas mais quentes, não é só desconforto que o calor gera. Ele pode deflagrar graves problemas de saúde e até matar. Por isso é preciso cuidados.

 Meteorologista do Instituto Capixaba de Pesquisa e Extensão Rural (Incaper), Ivaniel Fôro Maia, disse que o órgão não estação meteorológica em Vitória, cidade vizinha e com características climáticas semelhantes a Serra. Lá, foi registrada máxima de 36,5º C no último dia 03 de janeiro.

Ivaniel acrescenta que as medições são feitas por termômetro automático que fica à sombra numa área cercada, gramada e longe de obstáculos que possam interferir nos dados. Isto significa que, em áreas com pouca vegetação, muito asfalto, concreto e exposta ao sol, como a avenida Central em Laranjeiras, por exemplo, o calor é bem maior do que o medido pelo órgão.  “Em áreas mais urbanizadas, as temperaturas são naturalmente mais elevadas do que em áreas de campo (interior)”, explica o meteorologista. 

Mas mesmo com todo esse calorão, as temperaturas máximas neste início de janeiro estão dentro da média esperada na Serra e boa parte do estado. Exceto em algumas cidades do sul e noroeste, onde está até 20º C mais quente.

Também não tem chovido e segundo prognóstico feito pelo Incaper no final do ano passado,há 50% de chance de janeiro fechar com chuva abaixo da média. A boa notícia é que há previsão de pancadas de chuva entre hoje (10) e a próxima segunda-feira (14) segundo o Climatempo.

Pressão alta, infarto e acidente vascular cerebral

Segundo o médico Cristiano Cardoso, o calor excessivo é muito perigoso para saúde, sobretudo para hipertensos. “No calor, pessoas hipertensas podem ter alteração na pressão, aumentando o risco de infarto e AVC. Até quem não é hipertenso pode ter alteração na pressão nessas condições. Para pacientes hipertensos, o ideal é preciso seguir à risca a medicação indicada por médico, consumir alimentos leves, usar roupas claras, evitar exposição ao sol nas horas mais quentes e não consumir bebida alcoólica”, enumera.

Cardoso acrescenta que mesmo que não tem problema de pressão, deve cuidar da hidratação, usar filtro solar, roupas claras e leves e correr de alimentos mal conservados, e comida cheia de gordura e sal.

Estudo da Universidade do Havaí – EUA publicado na revista Nature em junho de 2017, aponta que ondas de calor vêm gerando mortes em vários países – incluindo Rússia, Estados Unidos e na Europa – desde 1980 e que 78% da população mundial estará exposta a ondas letais de calor até o ano 2100 caso não seja revertida a emissão de gases do aquecimento global.    

 

 

 

 

 




O que você acha ?

Como você avalia os primeiros meses do governo Bolsonaro?

Ver Resultados

Carregando ... Carregando ...

Veja também

Portal Tempo Novo

Rua Euclides da Cunha, 394 - sl 103 e 104 - Laranjeiras, Serra, ES

CEP:29165-310 - Tel: 27 3328-5765

Todos os direitos reservados ao Jornal Tempo Novo © Desenvolvido por