Assaltos constantes deixam moradores de Valparaíso com medo

0
A rua da igreja Batista é uma das que tem assaltos com frequência, a última ocorrência aconteceu na segunda-feira (23). Foto: Fábio Barcelos
A rua da igreja Batista é uma das que tem assaltos com frequência, a última ocorrência aconteceu na segunda-feira (23). Foto: Fábio Barcelos

Gabriel Almeida

Falta segurança e sobram assaltos em Valparaíso. Esta é a denúncia dos moradores que residem na comunidade. Eles relatam que estão com medo de sair de casa por conta da quantidade de roubos que estão acontecendo nas ruas do bairro. Um dos pontos mais perigosos é na região que fica no entorno do supermercado Extra Bom.

É o que afirma a presidente da Associação de Moradores, Catia da Silva Lima, que confirma o problema dos assaltos. “Quase todos os dias recebo reclamações dos moradores dizendo que alguém foi assaltado. O bairro está um perigo”, afirma a líder comunitária.

Outra moradora do bairro, Nete Ramalho, também reclama da quantidade de assaltos e denuncia a falta policiamento. “Está muito perigoso circular pelo bairro. Toda vez que saio nas ruas olho para trás toda hora, nunca circulo pela mesma rua e se eu ver alguém suspeito saio correndo”, conta.
Nete ainda disse que os pontos mais perigosos são próximos ao Parque da Cidade e da escola Maria Penedo. “Vários idosos acabam de receber a aposentadoria e são assaltados nessa região. Os bandidos levam todo o dinheiro. Estamos à mercê da violência é isto é um absurdo”, reclama a moradora.

Já outro morador que não quis se identificar disse que até para levar seu filho na creche tem medo.

“Todas as ruas aqui da comunidade são perigosas e desertas. No horário das 18h acontecem muitos assaltos e andamos com medo todo o tempo”, declara.

Na última segunda (23) uma tentativa de assalto próximo a igreja Batista  acabou mal para os supostos assaltantes.
Segundo informações, dois rapazes tentaram roubar uma idosa e populares que perceberam a ação, reagiram e bateram nos suspeitos.
Em março, um arrastão aconteceu nos pontos de ônibus do bairro, bandidos levaram celulares e dinheiros das vítimas.

Polícia diz que aumentou a vigilância

A reportagem entrou em contato com a Polícia Militar (PM) que afirmou que o policiamento foi intensificado com operações de blitz como forma de prevenir os crimes.

A região também conta com militares que realizam patrulhamento por viaturas, bicicletas e motos.  Todos os meses, são realizadas reuniões entre a Polícia Militar e a comunidade para discutir assuntos relacionados à segurança pública na região. Informações sobre data, local e horário das reuniões podem ser obtidas com a liderança comunitária.

A PM ainda disse que as vítimas devem sempre registrar os fatos na delegacia para que a Polícia Civil investigue e identifique os criminosos que estão agindo na região.

Comentários