24.2 C
Serra
sábado, 26 de setembro de 2020

Areia do engordamento de Manguinhos vem de praia ao lado do rio Jacaraípe

Leia também

Serra tem 500 mortes por Covid-19 e 15.635 casos confirmados da doença

Quinhentas pessoas morreram  na Serra em decorrência de complicações da Covid-19. A cidade que se encontra em risco baixo...

Carro pega fogo na BR 101 e deixa trânsito lento

  Um veículo pegou fogo em plena rodovia BR 101, próximo a loja C&C, em Carapina, na manhã deste sábado...

Voluntárias ajudam a mandar para reciclagem garrafas de cerveja descartadas por bares

Por um mês, as moradoras de Valparaíso Lílian Souto e Luzimar Santos se uniram a outros amigos voluntários para...
Bruno Lyrahttps://www.portaltemponovo.com.br
Repórter do Tempo Novo há mais de 10 anos, Bruno Lyra escreve para diversas editorias do portal, principalmente Economia e Meio Ambiente, das quais é o responsável.

É da praia ao lado sul da foz do rio Jacaraípe que está sendo retirada a areia usada para o engordamento da praia de Manguinhos. Na última quinta-feira (30) a reportagem do Tempo Novo esteve no local no final da tarde, logo depois que as máquinas encerraram o expediente do dia. Veja o vídeo abaixo.

O engordamento da praia de Manguinhos é para tentar conter o avanço do mar sobre a orla.  O serviço foi contratado pela Prefeitura da Serra e a empresa que está realizando é a Rocco Engenharia.

O local em Manguinhos que está recebendo a areia fica na chamada Praia do Meio, entre os famosos restaurantes Chico Bento e Vagão. O trecho é o mais afetado pelo avanço do mar, que já ‘engoliu’ uma rua, ameaça derrubar postes e está danificando residências.

Por conta do serviço, este trecho da Praia de Manguinhos está interditado para banhistas. Inclusive há tapumes para impedir a passagem das pessoas. A areia vem de Jacaraípe em caminhões – caçamba. E é espalhada em Manguinhos com uso de tratores.

Segundo a Prefeitura da Serra contrato com o Rocco é de R$ 1,4 milhão. A Prefeitura divulgou, no último dia 22 de julho, que a faixa de areia em Manguinhos será alargada em 15 metros numa área total de 5,2 mil m2. O contrato com a Rocco engloba ainda o engordamento da praia da Curva da Baleia, que terá faixa de areia alargada em 10 metros numa área de 8,8 mil m2. Até a última quinta-feira (30) o serviço ainda não havia começado na Praia da Baleia.

A Prefeitura estima que o engordamento nas duas praias deva ser concluído em três meses, mas alerta que o prazo pode variar dependendo das condições climáticas.

A Prefeitura da Serra também prevê o engordamento de outros trechos do litoral da Serra, em Jacaraípe, Costa Bela, Marbela e Nova Almeida. Mas ainda não divulgou prazos de quando pode iniciar o serviço nessas outras praias, que não está no contrato com a Rocco. Por isso será preciso outra licitação.

Outra questão é o risco, apontados por surfistas e ativistas, de impactos ambientais negativos sobre trechos rochosos (concreções lateríticas) e redução das ondas em Jacaraípe. Por essas razões não se desarcam alterações no projeto de ampliação da areia, cujo objetivo é conter o avanço do mar sobre a orla.

Risco de contaminação com areia pela poluição de rio

O fato da areia usada para engordar Manguinhos e Curva da Baleia ficar junto à foz do rio Jacaraípe, que recebe forte carga de esgoto não só dos bairros do famoso balneário serrano, mas também dos efluentes domésticos e industriais lançados nas lagoas Juara e Jacuném, levantou preocupações quanto ao risco de contaminação.

O alerta foi dado pelo ativista ambiental, surfista e geógrafo que mora em Jacaraípe, Pablo Torres, ainda antes do engordamento começar. Diante do risco, a Secretaria Municipal de Meio Ambiente da Serra (Semma) informou que foi feita análise da areia ao sul do molhe (na região conhecido como píer) de Jacaraípe, na altura da Praça Encontro das Águas. E não encontrou organismos que podem provocar doenças.

Mas a Semma ressalta que a empresa que está fazendo o serviço precisa seguir monitorando a qualidade da areia. A Secretaria destaca que a medida está prevista em condicionante do licenciamento ambiental.

Bruno Lyrahttps://www.portaltemponovo.com.br
Repórter do Tempo Novo há mais de 10 anos, Bruno Lyra escreve para diversas editorias do portal, principalmente Economia e Meio Ambiente, das quais é o responsável.

Mais notícias

Carro pega fogo na BR 101 e deixa trânsito lento

  Um veículo pegou fogo em plena rodovia BR 101, próximo a loja C&C, em Carapina, na manhã deste sábado (26). Segundo informações de populares, o...

Voluntárias ajudam a mandar para reciclagem garrafas de cerveja descartadas por bares

Por um mês, as moradoras de Valparaíso Lílian Souto e Luzimar Santos se uniram a outros amigos voluntários para recolherem garrafas de cerveja descartadas...

VOCÊ TAMBÉM PODE LER

CONTEÚDO PATROCINADO

close-link
close-link
error: Não copie! Compartilhe o conteúdo!