25.1 C
Serra
quarta-feira, 23 de setembro de 2020

Após audiência, Justiça pode decidir futuro do vereador Geraldinho Feu Rosa

Leia também

Após forte chuva, bairros da Serra ficam sem energia

Após a chegada das chuvas intensas que estavam previstas para esta terça-feira (22), as comunidades de Valparaíso e Serra...

CPF do estudante passa a ser obrigatório para matrícula na rede pública de ensino

A Secretaria da Educação (Sedu) passou a estabelecer, a obrigatoriedade de registro do número do Cadastro Nacional de Pessoas...

Polícia prende criminosos com metralhadora e drogas na Serra

A noite da última segunda-feira (21) terminou com apreensão de drogas, metralhadoras e prisão de criminosos na Serra. Tudo...
Maria Nascimento
Maria Nascimento é repórter do Tempo Novo há 18 anos. Atualmente, a jornalista escreve para diversas editorias do portal, principalmente para a de Política.

Geraldinho Feu Rosa foi afastado pela Justiça. Foto: Divulgação

Testemunhas de acusação e de defesa do vereador afastado Geraldinho Feu Rosa (sem partido) foram ouvidas durante audiência na Vara da Fazenda Pública Municipal. O encontro contou com a presença de um representante do Ministério Público do Espírito Santo (MP-ES), dos advogados de defesa do réu.

Geraldinho é acusado de rachid, quando o mandatário se apropria de parte dos salários dos servidores. Embora esteja afastado das atividades de vereador há quatro meses, Geraldinho segue recebendo seus vencimentos de R$ 9,7 mil mensais.

Segundo informações que constam na Ata da audiência, quatro testemunhas foram apresentadas pelo Ministério Público do Espírito Santo, enquanto Geraldinho Feu Rosa trouxe duas testemunhas para sua defesa.

Uma das testemunhas de defesa, Gilmar de Jesus, disse que trabalhou no gabinete de Geraldinho por dois anos, e que nunca foi solicitado pelo vereador que contribuísse com parte do seus salários.

Já a testemunha de acusação, Denizete Lucia Lima, também informou que trabalhou no gabinete por dois aos e que as contribuições estavam em acordo com o valor que cada um recebia como salário. Essa testemunha disse receber um salário de R$ 2.700 e que sua contribuição mensal era de R$ 200. Informou ainda que na época a justificativa era de que os valores custeariam projetos sociais.

Suplente:

Segundo o suplente de Geraldinho, Fábio Latino (PSB), já se passaram 120 dias do seu afastamento e, a partir de agora, é possível ao suplente solicitar a vaga no Legislativo.

Comentários

Maria Nascimento
Maria Nascimento é repórter do Tempo Novo há 18 anos. Atualmente, a jornalista escreve para diversas editorias do portal, principalmente para a de Política.

Mais notícias

CPF do estudante passa a ser obrigatório para matrícula na rede pública de ensino

A Secretaria da Educação (Sedu) passou a estabelecer, a obrigatoriedade de registro do número do Cadastro Nacional de Pessoas Físicas (CPF) do estudante, junto...

Polícia prende criminosos com metralhadora e drogas na Serra

A noite da última segunda-feira (21) terminou com apreensão de drogas, metralhadoras e prisão de criminosos na Serra. Tudo começou quando policiais militares do...

VOCÊ TAMBÉM PODE LER

CONTEÚDO PATROCINADO

Comentários
close-link
close-link
error: Não copie! Compartilhe o conteúdo!