2020 batendo a porta

0

Acabou o segundo trimestre do ano e, agora, entramos na reta final. Para poder chegar a 2020 com um desenho melhor rabiscado, essa última parcela de 2019 deve ser destinada à definição de alguns rumos no campo da política eleitoral. No entanto, já é possível pincelar tendências.

No eixo político do governador Casagrande (PSB), a candidatura do deputado Sérgio Vidigal parece ser irreversível, suplantando a do secretário estadual Bruno Lamas (PSB), que tem tudo para fazer uma composição. Inclusive, durante uma das reuniões que o PDT da Serra fez no mês passado, um dos cenários citados foi exatamente este.

No grupão da Assembleia Legislativa, centralizado em torno do presidente Erick Musso (PRB), a tendência é agrupar várias forças que ali estão inclusas, como o PSL do ex-deputado Carlos Manato; o PSDB do deputado Vandinho Leite – muito cotado para ser o candidato do grupo;Alexandre Xambinho, que ainda precisa definir partido; além de forças externas, como o médico Gustavo Peixoto, que assumiu o Pros da Serra.

No início do ano, chegou-se a anunciar o deputado Amaro Neto (PRB) como candidato na Serra. No entanto, essa realidade parece bem distante no momento.

No terceiro eixo, tem o prefeito Audifax Barcelos (Rede), que deve ser o principal cabo eleitoral de 2020. Ele deve sinalizar um rumo sobre a sucessão ainda neste resto de ano. Sabe-se que ele tem feito incursões ao delegado Rodrigo Sandi Mori, mas a informação é de que este não quer nem ouvir falar de política.

Quem emergiu nos últimos dias foi o secretário Igor Elson. Além de comandara pasta de Serviços, ele foi designado para a função de secretário interino de Agricultura. O meio político entendeu como um sinal de confiança e crescimento de Igor.

Já a candidatura do vereador Luiz Carlos Moreira (MDB) deu uma esfriada e demais partidos continuam a se articular:  o PSD, com Goleiro Mão; o PP, coma secretária Luciana Malini; e o SDD, com professor Arthur Costa.

Comentários